Por que os humanos perderam o osso do pênis?

0
300
Fonte: Didier Descouens/Muséum de Toulouse/Wikimedia Commons

Por David Shultz
Publicado na Science

Embora alguns pensem o contrário, o pênis humano não possui ossos. No entanto, o mesmo não pode ser dito para nosso parentes evolutivos mais próximos: chimpanzés e bonobos possuem ossos em seu pênis (e um deles é o destacado na figura do artigo), também conhecido como báculo. Para saber o por quê de alguns primatas terem tal estrutura e outros não, pesquisadores traçaram a sua história através do tempo.

O báculo evoluiu primeiramente entre 145 e 95 milhões de anos atrás, sendo o que a equipe relata no Proceedings of the Royal Society B. Isso significa que estava presente na maioria dos ancestrais mais recentes de todos os primatas e carnívoros. Por que alguns descendentes, como os seres humanos, perderam o báculo parece ser respondido devido a diferenças nas práticas de acasalamento: Em primatas, a presença de um osso no pênis foi relacionado à duração de intromissão, ou seja, quanto tempo o pênis penetra a vagina durante a relação. Uma intromissão mais longa geralmente ocorre em espécies com práticas poligâmicas – onde múltiplos machos acasalam com múltiplas fêmeas -, assim como é visto em bonobos e chimpanzés, mas não em humanos.

Esse sistema cria uma intensa competição para a fertilização e uma boa maneira de lidar com isso é passar mais tempo numa relação com uma fêmea, diminuindo a probabilidade dela encontrar-se com outros machos. O osso do pênis facilita isso a partir do apoio do pênis durante o sexo e da manutenção da uretra aberta.

CONTINUAR LENDO
Compartilhar
Artigo anteriorA escala de Kardashev e os tipos de civilizações avançadas no Universo
Próximo artigoCélulas-tronco produzidas no Brasil podem ajudar no avanço em pesquisas de transtornos mentais
Josikwylkson Costa Brito
Olá, meu nome é Josikwylkson Costa Brito (não, meu pai não deu uma cabeçada no teclado), mais conhecido como o Príncipe do Cosmos Nordestino, e nasci na cidade de Campina Grande, na Paraíba, onde moro atualmente. Tenho 17 anos atualmente, estou no segundo ano do curso de medicina e publico textos de cunho científico ou filosófico para os sites das organizações Universo Racionalista, Ciência e Astronomia, Climatologia Geográfica e NetNature, porém, em virtude dos estudos, não estou a fazê-lo com muita frequência. De todas as minhas publicações, as que mais simpatizo em postar são aquelas que contradizem o senso comum e que criticam as pseudociências, o que me torna digno de ser esquartejado por muitos irracionalistas (que, inclusive, andam vagando por essa página). As críticas que mais recebo desses senhores são as de que não tenho autoridade o suficiente para falar de determinado assunto (mesmo que eu poste artigos científicos advindos de sites e universidades de confiança). Então, em razão dos 'amigáveis' seguidores que se travestem de conhecedores de argumentação lógica e que rejeitam qualquer postagem minha por tal status, por favor, finjam que eu sou uma pessoa com 40 anos doutor em filosofia, cosmologia, biologia e medicina.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz