Campo magnético da Terra, a reversão dos polos

4
2054

Infelizmente, está sendo divulgado artigos sobre a reversão dos polos magnéticos, através de sites de ciência, sem qualquer conclusão científica ou racional. Tudo sensacionalismo!!!

Imagem referente a matéria sensacionalista do site Jornal Ciência. Clique na imagem para ser redirecionado a matéria.
Imagem referente a matéria sensacionalista do site Jornal Ciência.

Não há qualquer sentido crítico, nem qualquer consulta aos especialistas, aos cientistas, quando divulgam notícias científicas. Depois o que dá? Asneira! E muitos leitores enganados.

1 – Leiam o artigo na New Scientist: http://www.newscientist.com/article/dn22059-growth-of-earths-core-may-hint-at-magnetic-reversal.html

1.1- E leiam o artigo científico publicado na Nature: http://www.nature.com/ngeo/journal/v5/n8/abs/ngeo1506.html

Isto é de Janeiro de 2012, e por isso, CLARO! Já foi explicado cientificamente e racionalmente aqui no Universo Racionalista pelos nossos especialistas em ciência, sobretudo com artigos do AstroPT, que é escrito por vários astrônomos.

O problema é que as pessoas não leem as explicações certas dadas nas investigações, e meses depois ainda publicam sensacionalismos puros.

Esta informação estava ligada ao “fim do mundo” em Dezembro de 2012. Como não aconteceu absolutamente nada, eles estão novamente disseminando sensacionalismo puro.

A notícia é sobre uma inversão dos polos magnéticos da Terra. O que têm a dizer os especialistas, cientistas?

Vou colocar o texto que está no AstroPT:

Se não entrarmos por fantasias próprias de quem quer fomentar o medo, de modo a manipular a população. O que resta é a verdade. E qual é essa verdade?

O polo magnético está em constante mudança, e não é por isso que morremos todos os dias.

A Terra tem 4,6 bilhões de anos. Tem tido muitos ciclos com períodos temporais diferentes de reversão do polo magnético. Há aproximadamente 20 milhões de anos, manteve-se num padrão de a cerca de 250.000 anos haver uma inversão dos polos. No entanto, a última mudança de Polo Norte para Polo Sul aconteceu há 780.000 anos. Esta reversão é chamada de Brunhes-Matuyama.

Nessa altura, há 780.000 anos, a vida não acabou. Nem sequer houve “inundações globais”, nem ficamos sem proteção, nem os animais andaram todos perdidos, e demais parvoíces. Simplesmente há 800.000 anos a “nossa” bússola apontava para o Sul e agora aponta para o Norte.

Quando se diz que é uma mudança “abrupta”, o significado temporal geologicamente não é igual ao que utilizamos popularmente. Os ignorantes aproveitam-se destas diferenças de significado para mentirem à população. A verdade é que “abrupto” nas escalas temporais são cerca de 5.000 anos. Ou seja, as reversões de polos são processos graduais que demoram cerca de 5.000 anos.

Mesmo durante a mudança, ao contrário do que dizem os ignorantes, o campo magnético continua a existir e a proteger-nos das tempestades solares e radiação espacial. Nessa altura de mudança, a grande diferença (além da bússola) é o fato de existirem belíssimas auroras mais frequentes e a latitudes mais baixas. [AstroPT]

Conclusão: Não existe qualquer razão para ter medo da reversão dos polos. Pelo contrário: Venha logo essa reversão! Iremos poder ver belíssimas auroras no Brasil.

Por isso, quando vocês lerem textos onde se diz:

“A inversão magnética já está em andamento”, podem responder: claro que está. É normal. A total inversão pode demorar 5.000 anos, mas o fato é que o campo magnético está sempre em mudança. São mudanças sempre graduais. Por isso, esses tipos de frases só servem para provocar sensacionalismo e medo. Era o mesmo que dizer: “Vai chover! Tenham medo!”

“Mudança rápida”, podem responder que “rápido” neste contexto tem um significado diferente do que a maiorias das pessoas pensam, e só serve, é claro, para provocar medo nas pessoas (contrário à razão).

“Perda da proteção magnética contra radiação solar”, podem responder que isso é mentira. Ela continuará a existir, mas simplesmente estará mais caótico em termos de forma, e por isso permitirá auroras a latitudes mais baixas e não só perto dos polos.

Ainda sobre este tema, leiam os artigos da NASA e as simulações feitas que provam tudo o que foi dito acima:

É uma pena que algumas páginas e sites prefiram divulgar sensacionalismo barato, baseado no medo mentiroso, do que investigarem, lerem, e escutarem o que os cientistas têm a dizer sobre os assuntos científicos.

CONTINUAR LENDO
Compartilhar
Artigo anteriorEvidências de vida extraterrestre em Marte e no meteorito que atingiu o Sri Lanka?
Próximo artigoRelativismo
Graduando em Filosofia (2014) pela Universidade de Franca (UNIFRAN); estágio de iniciação científica em Microbiologia com enfoque em Astrobiologia (2016) pelo Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP); estudante da disciplina de Filosofia da Mecânica Quântica de pós-graduação (2016) pela Universidade de São Paulo (USP); experiência na área de Divulgação Científica com enfoque em Ciências Planetárias (Astronomia e Astrobiologia) e em Ciências Cognitivas (Neurociência e Psicologia); fundador da Organização Universo Racionalista (UR); colaborador do Instituto Ética, Racionalidade e Futuro da Humanidade (IERFH); membro-estudante da Rede Brasileira de Astrobiologia (RBA). Tem interesse nas áreas de Astronomia, Astrobiologia, Biologia Evolutiva, Física, Filosofia da Ciência, História da Ciência, Microbiologia, Neurociência, Psicobiologia e Sociologia da Ciência. Abaixo, segue o endereço do currículo na plataforma Lattes.

Deixe um comentário

4 Comentários em "Campo magnético da Terra, a reversão dos polos"

Notify of
avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
Rafael Machado de Souza
Visitante

faz tempo que escuto essa balela e vamos continuar a ouvir pelos proximos 5000 anos hehehe

Gilvan Fontes
Visitante

Torcendo pra acontecer essa inversão dos polos logo lol

Cássio Ronchi Farhat
Visitante

A rotaçao da Terra poderá sofrer alguma alteraçao nessa inversão?
Como por exemplo diminuir gradativamente a velocidade ou inverter a direção do movimento. (ou os dois)

Tulio Baars
Visitante

Não, Cássio. O campo geomagnético é mais um resultado da rotação (processo de dínamo) do que causa dele.

wpDiscuz